Thursday, December 03, 2009

Encómios de Pobre Porteiro à Pobre Vida, mas Vida

Pombal, manhã de 3 de Dezembro de 2009









Manhã, território cinza de renascimento,
traz à face o hálito das árvores e dos cães.
Tem estado a chover, mas de momento
luz na praça o rubro ouro de laranjas e romãs.

Outro tesouro não quero que esta pobreza
por pobre milagre cada dia acontecida:
esta província, esta obstinada natureza
que aos passos da morte opõe os da vida.



*

Agora três mulheres saem do elevador.
Em baixo, o porteiro sopra vapor nas mãos.
À janela está-se bem, vê-se o castelo
e onde vai ser o novo hipercomercial.



*

Não pode o Outono que meus dias de porteiro
sejam folhas mortas, que vivos são,
apesar de pelo chão. .



*

Mas vivos.

No comments: