Thursday, December 24, 2009

Elementos Porreirinhos para um Presépio Alternativo

Souto, Casa, manhã de 24 de Dezembro de 2009











O Presidente da República com a mulher ao lado, muito circunspectos ambos.
Uma galeria de pinturas iluminada a periquitos muitíssimo amarelos.
Paris by night sitiada por caçadores alentejanos de coelhos e ouriços.
Duas pessoas homossexuais de vez em quando.
Uma ovelhinha, mas azul.
Um catálogo de hipermercado com o retrato de Wenceslau de Moraes ao pé da campa da primeira mulher.
Um burro de gravata cor-de-secretaria-de-estado.
Uma cruz-de-guerra alemã sem soldado atrás.
Uma família incompleta, como todas.
Destroços vários de um só naufrágio.
Poemas da adolescência para o burrinho limpar o cu a eles.
Poemas como este para o burrinho limpar o cu a eles.
Lata de graxa para os sapatos.
Um iogurte de melão.
O Presidente da República sem a mulher ao lado, a sorrir portanto.
A equipa do União de Coimbra de 1978/79 mais o senhor Augusto Gonçalves.
Um começo de auto-estrada para nenhures.
Um investimento angolano sacado ao genocídio pela fome.
Uma miniatura do monumento aos Restauradores com putas de miniatura também na base.
O Miguel Torga a queixar-se do Nobel nunca mais.
Os tomates do Padre Inácio.
Um rei e um cão, ambos de nome Faruk.
Um gramofone com swing à aposentado finlandês em cruzeiro no Estreito de Bering.
Um exemplar de Sledge, de Martin Lindsay, para a Penguin.
Uma dose de papas de aveia em prato Aleluia.
Um sinal de estacionamento proibido incluindo cargas & descargas.
Um poetinha coimbrinha sem ser o Torga-nunca-mais-o-Nobel-porra-porra.
Cuspinhadelas de maracujá por toda a palha.
Um dos Reis Magos apanhado a mijar nas traseiras da estrebaria.
Sua Papa a Santidade.
Um vestido de noiva depois de usado, portanto com rosa vermelha.
Uma zundapp sem roda da frente.
O Pedro Barroso visto de lado como se estivesse de costas.
A Linda Lovelace a mandar bocas, naturalmente.
A Batalha de Ourique, com Cristo espadeirador e tudo, agora em DVD HD.
E o Menino Jesus a tratar o padrasto por Zé.



10 comments:

Anonymous said...

É assim que vou continuar a guardar o Blog do Abrunheiro nos favoritos.

Saúde,ó Abrunheiro!

Guardar

Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por
admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por
ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por isso melhor se guarda o vôo de um pássaro
Do que um pássaro sem vôos.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica,
por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Por guardar-se o que se quer guardar.

António Cícero

Fernando Campos said...

Bom Natal para ti também.
Um abraço. E um bom Ano.

fj said...

bem sacado, este presépio. anotei aqui e ali alguns pontos de interesse:

Um burro de gravata cor-de-secretaria-de-estado.
Uma família incompleta, como todas.
Um investimento angolano sacado ao genocídio pela fome.
Um dos Reis Magos apanhado a mijar nas traseiras da estrebaria.
A Batalha de Ourique em DVD HD.

nunca gostei do natal.

Manuel da Mata said...

Lá que os elementos são "porreirinhos" são; mas creio que é tralha a mais.
Parece um daqueles presépios antigos com ribeiros, caminhos, pastores, ovelhas, a cabana e as outras porras todas. está fora de moda.
Mas alguns dos possíveis figurantes e símbolos, estão bem apanhados.

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Saúde, António, saúde, Manel. Bom 2010.

Professor said...

Uma rápida visita só para desejar:
Boas Festas.
Um abraço

Professor said...

Fantástica hodiernação do presépio. Francisco de Assis, dizem que o inventor do primeiro, sentir-se-ia muito honrado por tão excelente continuador.
Um grade abraço.

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Boas Festas, meu caro Amigo.

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Salvé, Fernandos: Campos e Silva.

Anonymous said...

Professor has left a new comment on your post "Elementos Porreirinhos para um Presépio Alternativ...":

Fantástica hodiernação do presépio. Francisco de Assis, dizem que o inventor do primeiro, sentir-se-ia muito honrado por tão excelente continuador.
Um grade abraço.