Tuesday, November 17, 2009

aconhetecimento



terça-feira, 17 de Novembro de 2009



acontece-me sonhar com pássaros que falam
ao acordar compreendo que eram pessoas afinal
mas pessoas que nunca conheci nem conhecerei
os pássaros são pessoas de que não sabemos o nome

sucede-me com alguma frequência não sonhar
calo-me num sítio discreto e olho as árvores restantes
o vento incendeia-as de respiração convocatória
eu compreendo e calo-me mais ainda e não sonho

nunca levanto voo e não respiro nunca e então
então é que sonho com esta pessoa e aquela
e depois vou para chamá-las pelo nome e elas voam
nunca me conhecem nem conhecerão.

3 comments:

Professor said...

Pois é, Daniel, os melhores beijos são os que não damos, nem temos a certeza e alguma vez poder dar.
Um abraço

Anonymous said...

merci DA,
que poema tao lindo,
tao consciente do presente que é infinito, no graozinho...és/às, lindo.

la poesie serait le temps éternel qui console...
bjos,
dàs de beber aos anjos quando eles se cruzam na tua mao,
LM

Rui said...

Que deslumbramento, Daniel; que obrigado te sou sempre.