Thursday, August 24, 2006

Depois de TVer um Emigrante Luso Bem Sucedido na América

Quando se reforma, o trabalhador
bem sucedido dispõe ainda
de uma nesga de céu. Direi até:
de uma nesga de mar.
Não sabe ele quantas semanas,
ou, com alguma sorte, meses,
ou, com algum milagre ou o carago por ele, anos
- lhe restam in peace.
Tem dinheiro para
a cabine na montanha,
o rizorte, ou lá como é, na oura da praia,
o lugar à frente no festival
de fandangos.
Depois, é a tesãozita curta
dos dígitos da caderneta:
mas a droga em que a neta.
E a filha, já agora.




Caramulo, noite de 24 de Agosto de 2006

2 comments:

Paulo Prudêncio said...

"...rizorte"... com muita piada.

Paula Raposo said...

Gostei muito! É mesmo assim que acontece. Mas as tuas palavras acabam por tornar a banalidade em beleza! Isso é que é a verdade.