Thursday, June 08, 2006

Dez minutos

Estive ontem um pouco mais de dez minutos ao telefone com a minha filha Leonor.
Liguei à noite. Naturalmente, fez-se logo dia.
Conversei com esse meu futuro feminino, púbere de novo, inocente.
Algumas dificuldades a Francês, ela. Nada de especial.
Gostaria de poder ajudá-la no être e no avoir.
É evidente que não sou a pessoa indicada, dadas as minhas comprovadas dificuldades quanto a être. Do avoir, então, nem falo.
Ela falou-me com a impiedosa lucidez dos doze anos.
Gostei muito de falar com ela.
Eu tinha já ganho e perdido o meu dia.
Uma pessoa, em Junho, é uma pedra de luz maciça.
Não lhe disse esta frase (este verso).
Temos ambos necessidade de ir comer uma pizza ao Aniano.
Ela viaja no tempo: nasceu de leite, fez-se licor de água, anda rosa de todo.
Suspeito da sua beleza invencível, do coração forte com que nasceu para dizer ao mundo:
- Uma criança é assim que é.
Faz-se entretanto rapariga. Tem telemóvel, amigos e amigas. Aprendeu clarinete.
Tem as coisitas dela. É sacanita.
E é a minha vida.
A minha vida um pouco mais breve, cada vez que o telefone se desliga.



Caramulo, manhã de 8 de Junho de 2006

7 comments:

BlueTraveler said...

Pai badado ;)

Anonymous said...

Gostei mutio deste texto. A habitual arte do fragmento.
(vê o teu post de maio em que nada sabes de agricultura. Deixei lá mais sugestões)
Costeau

daniel abrunheiro said...

combinado, custô.

daniel abrunheiro said...

deixei-te recado no mesmo post, custô.

daniel abrunheiro said...

deixei-te recado no mesmo post, custô.

nono said...

bigado por publicares em directo as minhas dificuldades!
pra alem disso, foram 11 minutos, não 10!

qualdense said...

onze vem do latim undecim. é um numeral cardinal que representa dez unidades mais uma. é um substantivo masculino que expressa o grupo de algarismos que representa o número onze; ou seja aquilo que numa relação ou série ocupa o décimo primeiro lugar.

Mas tu tás parvo ou quê Daniel?

DEZ?! Que DEZ?!

Onze!

(Como diriam os franceses: mashquégrrandcavalgadurre)


(Dá-lhe Leonor...)